Rede de Saúde Divina Providência

Gestão » Governança Corporativa

A diretoria do Hospital Divina Providência utiliza o sistema de governança corporativa para gerenciar, monitorar e promover todas as atividades institucionais. Para dar sustentação ao modelo de gestão adotado, foram estipulados quatro princípios básicos:

Transparência

Informação como fonte de credibilidade e confiança

Equidade

Respeito à integridade de todas as partes interessadas

Prestação de Contas

Dever institucional para a sustentabilidade da rede

Responsabilidade corporativa

Visão de longo prazo e compromisso socioambiental

Entre os benefícios da governança corporativa está o melhor controle das operações por parte dos acionistas e mantenedores. Isso acaba fortalecendo a imagem da instituição não apenas para profissionais do setor, mas para os usuários e público em geral.

Ajuda também a atrair e reter capital humano, contribuindo para a formação de equipes competentes e motivadas. O sistema favorece ainda a captação de recursos financeiros, proporcionando maior segurança aos acionistas e mantenedores, e credibilidade para novos investidores.

Governança Corporativa

A Rede de Saúde Divina Providência (RSDP) – a fim de viabilizar e promover sua eficiência administrativa e assegurar fidelidade à Missão da Congregação – assumiu as melhores práticas de governança corporativa, bem como seus princípios básicos de transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.  Para isso, instituiu os seguintes órgãos de governo:

Assembleia Geral

Órgão máximo e soberano da entidade; constituída pela totalidade das associadas e pelas Irmãs da Divina Providência que são integrantes da Província Mãe da Providência.

Compete à Assembleia Geral:

  • Cumprir e alterar o estatuto;
  • Eleger, empossar e destituir os membros da diretoria da Sociedade Sulina Divina Providência (SSDP) e do conselho para assuntos econômicos e fiscais;
  • Aprovar balanço patrimonial e demais demonstrações contábeis;
  • Deliberar sobre a dissolução ou extinção da SSDP;
  • Deliberar sobre demais assuntos de interesse da entidade.

Conselho para Assuntos Econômicos e Fiscais (CAEF)

Constituído por três associadas efetivas e três associadas suplentes, eleitas pela Assembleia Geral.

Tem como competências:

  • Analisar e dar parecer à Assembleia Geral sobre balanço patrimonial e demais demonstrações contábeis;
  • Analisar e dar parecer sobre relatório de atividades e balanço social;
  • Zelar para que sejam devidamente conservados os documentos contábeis, fiscais e patrimoniais.

Diretoria

Órgão estatutário responsável pela direção e administração da entidade. Composta por presidente, primeira vice-presidente, segunda vice-presidente, secretária e tesoureira – todas associadas eleitas pela Assembleia Geral.

Compete à Diretoria:

  • Acatar e fazer cumprir o estatuto;
  • Admitir e demitir associadas;
  • Nomear e destituir conselhos, comitês e dirigentes;
  • Autorizar disposições sobre bens imóveis;
  • Decidir sobre empréstimos e financiamentos;
  • Abrir e fechar filiais, departamentos e núcleos de atividades;
  • Aprovar diretórios, regimentos, regulamentos e normas internas;
  • Deliberar sobre assuntos gerais.

Conselho Executivo

Colegiado de gestão operacional estratégica, responsável pela sincronia e compatibilização da organização e orientação dos recursos da RSDP. Tem como finalidade atingir um objetivo comum, a partir de um processo participativo e circular e que tenha por premissas o caráter integrativo, sinérgico, sustentável (social, econômica e ambientalmente) e inculturado no Carisma das Irmãs da Divina Providência.

Atribuições:

  • Zelar pela missão e valores da SSDP e da RSDP;
  • Promover o modelo de governança institucional;
  • Potencializar o processo de integração das unidades de saúde;
  • Zelar pela credibilidade e reconhecimento da RSDP;
  • Observação dos valores axiológicos, racionalização dos gastos e otimização dos recursos;
  • Garantir a perenidade da RSDP, na perspectiva da sustentabilidade, incorporando considerações de ordem econômica, social e ambiental na execução das operações;
  • Cuidar para que as estratégias, políticas e diretrizes sejam implementadas;
  • Instituir processos de planejamento e desenvolvimento de programas e projetos;
  • Prevenir e administrar situações de conflito e divergências, colocando a missão da SSDP e da RSDP como prioridades;
  • Prestar contas à Diretoria da SSDP.

Controles Internos e Compliance

Órgão de controle, não estatutário, informativo, consultivo e deliberativo, sem função executiva, a quem é conferida plena autonomia e independência, com o objetivo de implementar o sistema de controles internos e compliance, mapeamento periódico de riscos; políticas, procedimentos, controles; educação e treinamentos; canais de denúncia; respostas às infrações e desvios de conduta.

Gestão Executiva
Direção de Serviços Compartilhados

Concentra as atividades de apoio consideradas sinérgicas, em geral serviços administrativos e de suporte técnico especializado, executados por meio da integração de equipes próprias e terceirizadas, a fim de prover transversalmente todas as unidades operacionais.

Além disso, consolida as práticas de acompanhamento e controle da qualidade, com o estabelecimento de indicadores de desempenho e instrumentos de gerenciamento.

Direção Geral de Operações de Saúde

Organiza, coordena, supervisiona e orienta as ações nas unidades de saúde da RSDP, responsáveis por todos os processos funcionais em cumprimento das diretrizes do Conselho Executivo da RSDP e Diretoria da SSDP.