Notícias

15/07/2019

Pneumologista do Divina vai à rádio falar sobre alergias

Texto: Bruna Gandolfo/Foco

A Organização Mundial da Saúde determinou o 8 de julho como o Dia Mundial da Alergia. Época que é muito marcada pelo frio em nossa região e, com ele, hábitos que podem ser prejudiciais à saúde e agravar as alergias, principalmente as respiratórias. Idosos e crianças são os mais atingidos. Cerca de 30% da população tem algum tipo de alergia. "Agrupamentos em locais fechados, o uso roupas guardadas há muito tempo e não higienizadas antes do uso facilitam a proliferação de fungos e ácaros", diz a pneumologista do Hospital Divina Providência, Rafaela Bernardi. Por isso, a estação mais fria do ano é campeã nesses casos de alergia!

Para alertar e orientar a população, a médica esteve no programa Viver com Saúde, da Rádio ABC. Ela explicou à apresentadora, Adriana Lima, que, nessa época do ano, alérgicos podem ter piora dos sintomas decorrentes de infecções respiratórias, principalmente virais. Asma e rinite alérgica são as principais doenças alérgicas respiratórias pioradas no inverno. Segundo a ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia) a asma afeta 10% da população brasileira, sendo responsável por, aproximadamente, 400 mil internações e cerca de 2 mil óbitos anuais. Ainda, dados indicam que 78% das pessoas com asma têm rinite alérgica.

Para diminuir a incidência de crises, é importante tirar as roupas de lã e cobertores do armário. Antes de usadas, é indicado que as roupas de inverno sejam lavadas com água quente ou colocadas no sol. Até mesmo o guarda-roupas deve ser higienizado.

O cuidado também com o quarto dos alérgicos. O piso idealmente deve ser lavável, sem cantos que acumulem pó e o carpete, se necessário, deve ter tratamento contra fungos e bactérias. Evitar cortinas e tapetes. A cama merece um tratamento especial, pois nela se acumula a maior quantidade de ácaros. Colchões e travesseiros devem conter capas antialérgicas.

"As alergias não têm cura, contudo, podem ser controladas. A asma e a rinite alérgica possuem tratamentos eficazes para o controle dos sintomas. Além do diagnóstico clínico, outros exames como laboratoriais e de função pulmonar ajudam a detectar essas doenças" finaliza a doutora.

Confira a entrevista na íntegra no link abaixo.

Entrevista com Dra. Rafaela Bernardi para Rádio ABC