Notícias

15/12/2016

Práticas simples podem evitar a Embolia Pulmonar

O Hospital Divina Providência mantém uma preocupação constante com a qualidade do atendimento de seus pacientes. Evitar a ocorrência da embolia pulmonar, através de medidas preventivas é uma dessas metas.

O médico hospitalista, Diego Menegotto, esclarece que o tromboembolismo venoso é um termo que engloba a trombose venosa profunda e a embolia pulmonar. A trombose corresponde à formação de um coágulo em alguma veia do paciente, mais comumente nos membros inferiores, causando edema (inchaço). A embolia pulmonar em geral é consequência de uma trombose venosa e ocorre quando um coágulo se “desprende” de onde estava e se desloca até uma artéria do pulmão, determinando uma interrupção da irrigação sanguínea deste órgão.

Dr. Diego acrescenta que é, portanto, um quadro grave que representa uma importante causa de morte no ambiente hospitalar. Todo o paciente que esteja com sua mobilidade reduzida está sob risco aumentado de desenvolver tromboembolismo, sendo que alguns grupos estão sob risco ainda maior como os pacientes com câncer e em pós-operatório. “Por esta razão, é muito importante seguir rigorosamente os protocolos que o Hospital começou a implementar em setembro”, resume o médico.

O especialista explica que é através de medidas simples que se pode evitar o desenvolvimento de trombose venosa e embolia pulmonar. “O estímulo à saída do leito e à realização de caminhadas, nos casos em que a doença do paciente permitir, já ajuda a prevenir. Para os casos de maior risco, podem-se indicar, conforme a situação, métodos físicos como a utilização de meias elásticas de compressão graduada e a compressão pneumática intermitente dos membros inferiores, ou ainda o uso de medicamentos anticoagulantes”.

O Protocolo que está sendo utilizado no Divina permite que os médicos do Corpo Clínico possam fazer a estratificação de risco dos seus pacientes e gerar uma prescrição de medidas gerais associadas ou não à prescrição de anticoagulantes para a prevenção.

O tromboembolismo, especialmente pulmonar, é a principal causa de mortalidade passível de ser prevenida durante a internação hospitalar. As medidas aplicadas pelo Protocolo são capazes de reduzir em até 70% a ocorrência do tromboembolismo.

Conteúdo produzido pela Seiva Agência de Comunicação

Fonte: Texto: Luiza Assis e Adelar de Oliveira