Notícias

22/10/2021

Rede de Saúde Divina Providência vence Top Ser Humano e Top Cidadania da ABRH-RS

RSDP foi destaque por ação integrada de suporte aos colaboradores para o enfrentamento da pandemia e pelo Programa Sem Dor para pessoas com dor crónica na coluna

A Rede de Saúde Divina Providência (RSDP) conquistou dois importantes prêmios: o Top Ser Humano e o Top Cidadania, da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) do Rio Grande do Sul. O prêmio Top Ser Humano é da categoria Organização, com a ação “Qualidade de vida ao cuidador na pandemia: ações integradas”. Também pela categoria Organização, o Hospital Independência (HI) recebeu o Top Cidadania pelo Programa Sem Dor.


As duas premiações respaldam as ações da RSDP, balizadas pelo propósito de cuidado amoroso à vida e o atendimento humanizado. As ações integradas são um programa já existente e que foi aprimorado para o enfrentamento da pandemia. O Programa Sem Dor foi criado em 2015 para auxiliar pacientes com dor crônica na coluna.

Top Ser Humano

Com a pandemia de Covid-19, a RSDP identificou necessidade de investir no suporte e promoção da saúde dos trabalhadores, fortalecendo habilidades para o enfrentamento às adversidades impostas pela pandemia.


As ações integradas diagnosticaram diversos problemas a serem resolvidos, como o desgaste emocional e estresse excessivos com a pandemia, o medo de contaminação, entre outros. Com isso, o Programa reuniu as áreas de Nutrição, RH, Psicologia e Psiquiatria e promoveu diversas ações de acolhimento aos colaboradores.


A supervisora do Ambulatório de Terapias Naturais e Complementares (ATNC) 1º de Maio, Débora Arregui Risch, demonstra em palavras o orgulho com a premiação. “Ela representa o esforço coletivo pelo bem comum e o cuidado amoroso à vida, que é a proposta da Rede, vinculada ao Carisma das Irmãs. É um prêmio por um movimento carinhoso que desenvolvemos. Reconhece um processo de muito carinho e zelo pelas pessoas que precisam, pois cuidaram, incansavelmente, dos pacientes”, destaca.


Débora explica que a Qualidade de Vida ao Cuidador foi aprimorado para o enfrentamento à pandemia. “O Programa passou a oferecer lanches e refeições diferenciadas, foram ofertados grupos de Psicologia aos colaboradores, além de uma atenção maior às Práticas Integrativas e Complementares. Agregamos técnicas de Reiki e terapia floral, disponíveis no ambiente de trabalho, para auxiliar o colaborador. Também foi criado um grupo de conexão por meio da oração, vinculado à Pastoral, em que um grupo levava música e oração aos ambientes”, detalha.

Top Cidadania

O Programa Sem Dor do HI destaca-se pela humanização das práticas, realizadas de forma multiprofissional. O paciente é atendido nas especialidades de Ortopedia, Fisioterapia, Nutrição, Acupuntura, Psicologia, Psiquiatria, Farmácia, Enfermagem e Assistência Social.


Conforme a enfermeira Bárbara Antunes da Rosa, coordenadora do Programa,  é oferecido cuidado paliativo aos pacientes que não podem fazer a cirurgia de coluna, para melhorar as condições de saúde e a qualidade de vida.


“O programa oferece atendimento multiprofissional, com acompanhamento de diversas especialidades. Todas trabalham integradas para proporcionar reabilitação. Auxiliamos o usuário a identificar os gatilhos da dor e assim fazer atividades que auxiliem a melhora”, conta.

Ela ressalta a importância da premiação. “É o reconhecimento de um trabalho muito bem aceito pelos pacientes, porque eles nos dão esse feedback. Além disso, indica que temos tudo para continuar com o Programa, pois ele dá condições de reabilitar, integralmente, a pessoa. É importante ressaltar que a dor crônica não afeta apenas o físico, mas também a saúde mental do paciente”, diz.

Confira outras notícias