Notícias

01/11/2020

Novembro é roxo também!

O mês de novembro, além do azul, tem outra cor importante, o roxo. A cor sinaliza e lembra a todos o mês da prematuridade.

No Brasil, segundo o estudo nacional sobre partos e nascimentos feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado em dezembro de 2016, a taxa de prematuridade é de 11,5%, quase duas vezes superior à observada nos países europeus. Deste percentual, 74% são prematuros tardios (nascidos entre a 34ª e 36ª semana gestacional).

A prematuridade é, ainda, a principal causa de mortalidade neonatal, resultando em grande probabilidade de sequelas nos sobreviventes e uma das principais causas de mortalidade infantil, que aumenta a cada década. Segundo dados da Organização das Nações Unidas, os nascimentos prematuros são responsáveis por quase metade das mortes de recém-nascidos no mundo. No Brasil, é a segunda maior causa de mortalidade infantil.

Celebra-se o Dia Mundial da Prematuridade em 17 deste mês com o objetivo de alertar as pessoas sobre a crescente alta nos números de partos prematuros. Conforme a médica do Hospital Estrela (HE), Dra Denise Machado, coordenadora da UTI Neonatal da instituição, as razões são multifatoriais, podendo estar associado, principalmente, a hábitos de vida, assistência pré-natal, condições sociais e clínicas maternas. Entre eles, gestação múltipla, pré-eclâmpsia, pré-natal inadequado e excesso de ganho de peso se sobressaindo em prevalência. Além disso, visa também informar sobre as consequências para o bebê. A data destaca a importância de se buscar maneiras para uma gravidez saudável, evitando, assim, a prematuridade.

“O Brasil está em 10° lugar no ranking da prematuridade o que torna muito importante todos os esforços feitos para a conscientização e educação sobre o tema. Cresceu-se muito em qualidade de assistência ao prematuro nos últimos 20 anos, mas ainda precisamos melhor em planejamento familiar, identificação de fatores de risco e na qualidade do pré-natal para reduzirmos o número de partos prematuros no país” afirma a coordenadora da UTI Neonatal do HE, Dra Denise.


É possível evitar um parto prematuro?

Muitas mamães ficam assustadas quando o assunto é prematuridade. Mas existem formas de prevenir o parto prematuro, como aponta a Dra Denise. Pequenos cuidados são aliados na gravidez e protegem o bebê.

Cuidado com a pressão alta: sempre meça sua pressão e nunca deixe de tomar seus medicamentos de hipertensão;

Exames em dia: o acompanhamento médico e o pré-natal são fundamentais para uma gravidez saudável;

A idade conta: boa parte dos prematuros nasce de mulheres com mais de 35 anos. O risco está diretamente relacionado à existência de doenças de base, como diabetes, hipertensão e obesidade, cuja incidência aumenta significativamente conforme a idade vai avançando. Agora, se você chegou na casa dos 40 ou perto dela com saúde perfeita, relaxe! Apenas fique de olho na balança e capriche no controle da pressão e do açúcar no sangue.

Repouso é indicado: conforme a gravidez vai chegando ao seu final, o repouso é importante para evitar quedas, traumas e qualquer tipo de problema com o bebê.

Beba água: a hidratação em dia é bom para você e bom para o bebê. Nunca esqueça de se manter hidratada durante a gravidez.

Confira outras notícias