Notícias

28/08/2020

Aleitamento: bom para o bebê e para a mamãe

   O Aleitamento Materno é a principal forma de alimentação dos recém-nascidos, sendo inúmeros os seus benefícios e de grande conhecimento da população. Mas há benefícios nem sempre tão difundidos, como os da área da fonoaudiologia.

As fonoaudiólogas Vania Siqueira Dias e Mara Canabarro destacam a função fundamental que a amamentação exerce. Segundo as profissionais do Divina Providência, ela impacta positivamente no desenvolvimento crânio-facial e no sistema sensório motor oral do bebê. O ato do bebê sugar o seio materno e extrair o leite, proporciona o crescimento dos ossos e fortalece os músculos de sua face, fazendo com que as estruturas orofaciais harmonizem-se, alinhando mandíbula/maxila e, posteriormente, a dentição. Isso traz o bom desenvolvimento da mastigação, dentição, fala e linguagem.

Por sua relevância, tanto o Divina Providência, quanto o Hospital Estrela, de Estrela, contam com o atendimento fonoaudiológico em suas UTIs Neonatal. Atendem recém-nascidos que não apresentam habilidade para alimentarem-se de forma plena por via oral, também os prematuros, bebês com síndromes ou má formação, e que tenham sofrido alguma alteração durante a internação, bem como os que apresentam dificuldade do processo do aleitamento materno.

Cólicas e alimentação materna

Quem nunca ouviu falar que feijão, leite, frutas ácidas ou outros alimentos não podem ser consumidos pela mulher que amamenta, pois provoca cólicas no bebê? A alimentação da lactente é cercada de mitos e tabus herdados, principalmente, por avós, mães e tias que realizaram dietas restritas no período da amamentação na esperança de evitar que seus filhos sofressem com as terríveis cólicas, conforme destaca a nutricionista do Hospital Divina Providência, Jessica Batista Minho. 

Segundo Jessica, estudos têm demonstrado que a alimentação da lactante não causa cólica no bebê. “A cólica não passa de uma adaptação de um intestino ainda imaturo. Claro, algumas exceções podem ocorrer como no caso da Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV), onde restrições na dieta materna fazem parte do tratamento”, afirma a nutricionista. De modo geral, uma boa alimentação materna, contemplando todos os grupos alimentares (carboidrato, proteína, frutas, legumes e gorduras), traz benefícios para mãe e bebê: “O aleitamento materno é um grande promotor de saúde para o bebê e para a mamãe”, ressalta a profissional.

Nutrição para o bebê

Mais do que o melhor alimento, o aleitamento é uma troca mágica entre mãe e bebê, nutrindo necessidades fisiológicas e emocionais, promovendo um vínculo único e fascinante. “Estudos já demonstram que o leite materno se adapta às necessidades do bebê, pois enquanto suga o seio da mãe, suas gotículas de saliva retornam para ela, estimulando uma resposta imunológica, alterando a composição do leite conforme suas necessidades”, revela a nutricionista do Hospital Estrela, Daniela Hörlle. Pensando na “fornecedora” do “alimento dourado”, que é a mãe, sua alimentação deve ser diversificada, colorida e abundante, além de ter muita água. E claro, boas doses de momentos de alegria, descanso e aconchego em família!

Confira outras notícias