Notícias

09/01/2020

Janeiro Branco: luta pela saúde mental

A campanha tem o objetivo de alertar sobre os problemas com a saúde mental

Texto: Júlia Goulart/Foco Comunicação

Problemas de saúde mental têm se tornado cada vez mais comuns em todo o mundo.  Uma das doenças que mais atinge os brasileiros é a  ansiedade. O Brasil é o país com maior número de pessoas ansiosas no mundo: 9,3% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).  E os dados são ainda mais preocupantes:  86% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como depressão, transtornos de personalidade, esquizofrenia.
   
Os problemas com a saúde mental são diversos: além dos já citados, há a bipolaridade, estresse, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), e muitos outros. Os índices são mais altos do que se imagina: o transtorno afetivo bipolar, por exemplo, afeta cerca de 60 milhões de pessoas em todo o mundo.   O estresse também é um inimigo e tanto do bem-estar mental. De acordo com um levantamento feito pela Vittude, plataforma on-line voltada para a saúde mental, 37% das pessoas estão com stress extremamente severo, enquanto 59% encontram-se em estado extremamente severo de depressão no mundo todo.


As causas dos problemas mentais são diversos: falta de vínculos saudáveis na família, relações afetivas negativas, dificuldades profissionais e financeiras. Outros aspectos também podem afetar a saúde mental: hereditariedade, fatores biológicos e psicológicos.


O primeiro mês do ano é um aliado dos psiquiatras e especialistas, como a Dra. Maria Rosa Iorra Camargo, coordenadora do serviço de saúde mental do Hospital São José, de Arroio do Meio. Ela exalta a existência da campanha e aprecia a escolha pelo mês de janeiro, período marcado por recomeços e renovações. "O grande propósito é colocar em evidência os assuntos de saúde mental, pensando em prevenção, mas também, visando a diminuição do estigma. Quanto mais falarmos do tema, quanto mais desmistificarmos, quanto mais ele for de conhecimento público, menos preconceitos teremos sobre esse assunto." afirma a médica.

Ela, ainda, considera o movimento uma luta contra a pouca importância que as pessoas dão aos cuidados relacionados ao bem-estar mental. "No conceito de saúde, temos o bem-estar biopsicossocial. Pensamos muito no bio, no corpo. Pensamos muito no social, nas relações, no trabalho. Mas pouco pensamos no nosso psico, essa questão nunca é clara, ela nunca é entendida como algo que necessita um olhar especial. É muito mais fácil estar com alguma dor e procurar um especialista do que não conseguir organizar as ideias e não conseguir lidar com aquilo que estamos sentido. Isso, em janeiro, encontra um momento para ser pensado.

Pensando na importância do janeiro branco para os cuidados da saúde mental, o Hospital São José promoveu atividades especiais neste mês. Com um cuidado humanizado, sem estigmas e amoroso, o hospital apostou nas atividades manuais. Elas são uma grande terapia para combater o estresse e a depressão, uma vez que aumentam a sensação de bem-estar e promovem o relaxamento. É uma prática que melhora a criatividade, a autoconfiança e a autoestima.

Veja fotos da atividade especial alusiva ao janeiro branco no HSJ.