Notícias

16/05/2019

Hospital Divina Providência: onde a mulher é protagonista do seu parto

Texto: Bruna Gandolfo

Dr. Campello no Band Mulher

Dr. Campello no Band Mulher

O Centro Materno-Infantil (CMI) do Divina Providência (HDP), vem, cada vez mais, apostando na humanização do atendimento e no protagonismo da gestante no momento do parto. Para isso, investe em infraestrutura, novos serviços e ações. O obstetrado HDP, Dr. Cláudio Campello, esteve em programas de rádio e tv para falar sobre o assunto.

De acordo com recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), cada trabalho de parto é único e a duração da primeira etapa do processo varia de mulher para mulher. A OMS também aponta que, mesmo quando a intervenção médica é necessária, é preciso incluir as mulheres nas decisões sobre os cuidados que recebem. O Divina Providência segue estas diretrizes. É um hospital no qual as gestantes são as protagonistas de seus partos.

Por isso, não surpreendem os índices de partos normais na instituição. Segundo dados da Associação Nacional de Hospitais Privados, a média de partos normais no Brasil é de 17,6%. No HDP, os números subiram de 24,4% em janeiro desse ano para 25,4% em março, e têm uma média de 24,5%.

Segundo a coordenadora de Enfermagem do Centro Materno Infantil, Neuza Richetti Polesello, o número de partos normais teve um forte aumento em agosto de 2018, quando foi implantado um novo modelo de assistência, que inclui o Plantão Obstétrico e o trabalho da enfermeira obstétrica de forma colaborativa com o médico. “As mulheres passaram a se sentir ainda mais seguras para optar por essa forma de parto”, afirma a profissional. Os índices subiram de 11% em julho (antes da implantação do plantão) para 19% em dezembro – e não pararam mais de crescer.

Por meio do Plantão Obstétrico, o CMI do Divina Providência conta com médicos em tempo integral. São nove profissionais que se alternam em plantões para atender tanto pacientes internadas quanto aquelas encaminhadas por seus obstetras. Outro investimento foi o aumento da estrutura do Centro como um todo.

Os benefícios do parto normal

·         O bebê nasce quando a hora certa chega naturalmente, sem datas pré-estabelecidas;

·         O momento libera hormônios como a oxitocina, que vão facilitar as contrações uterinas e musculares, e o cortisol, que regula os níveis de estresse;

·         Durante a passagem pelo canal vaginal, o tórax do bebê é pressionado de forma a diminuir a incidência de doenças respiratórias;

·         A permanência da ligação do cordão umbilical com a placenta por cerca de três minutos aumenta a absorção de oxigênio e diminui o risco de anemia;

·         O contato com as bactérias do canal vaginal reforça o sistema imunológico do recém-nascido;

·         Além de tudo isso, a recuperação da mãe é muito mais rápida do que no parto cirúrgico.

Os índices mais altos de parto normal, entretanto, não significam que o Divina faça qualquer distinção ao tratamento às mulheres que desejam a cesariana. Como já foi dito, é diretriz do hospital respeitar a opinião e as decisões das gestantes – sempre mantendo a segurança de mamães e bebês.

Confira, nos links abaixo, as entrevistas do Dr. Cláudio.

Programa Band Mulher - Parte I

Programa Band Mulher - Parte II

Rádio Guaíba