.: Mamãe e Bebê

Do desejo de ter um filho às primeiras suspeitas de gravidez, da visita ao ginecologista ao exame com resultado positivo e, finalmente, do gradual aumento da barriga até o momento do parto, muito tempo passa e muitas coisas acontecem. Assim, é comum os pais terem dúvidas a respeito dos processos que envolvem os nove meses de gestação, e também sobre os cuidados com o recém-nascido.

Sabemos que cada filho é único na vida de uma família. Por isso, acreditamos que é importante para os pais conhecerem o que acontece com o bebê enquanto está sob a proteção e o calor do útero materno e reconhecerem suas primeiras necessidades ao sair de lá.

» Gestação

Dentro do útero, um novo ser crescendo e se desenvolvendo. Diante do espelho, o corpo da mulher se modificando.

» Entenda as fases

1º Mês
O embrião já apresenta coração; a cabeça e a coluna vertebral estão em formação. Mede em torno de 6mm. A mulher percebe a ausência de menstruação, as mamas ficam inchadas e as auréolas escurecidas. Iniciam náuseas e a mulher sente-se mais sensível emocionalmente.

2º Mês
Os principais órgãos já estão desenvolvidos, narinas e ouvidos estão em formação.  Mede em torno de 2,5cm. Persistem as náuseas, especialmente pela manhã. Pode haver algum inchaço por retenção de líquidos e possível aumento da secreção vaginal.

3º Mês
A cabeça ainda é maior do que o corpo, mas o feto já toma a forma de um bebê. Já estão formadas unhas e os lábios já se movimentam. Mede aproximadamente de 7 a 9 cm. As náuseas continuam e podem surgir manchas escuras no rosto da gestante.

4º Mês
A placenta está totalmente formada e passa a nutrir o feto. Diminuem os riscos de aborto espontâneo. As sobrancelhas e cílios estão crescendo e a pele ainda é bem fina e transparente. Mede aproximadamente 14cm  e pesa 100g. O útero aumenta de tamanho e gradualmente se torna visível o aumento do abdômen na mulher. As náuseas diminuem e a gestante já percebe a movimentação do feto.

5º Mês
Mês de maior crescimento do feto. Já surgem os cabelos, e braços e pernas estão completamente desenvolvidos. O bebê já pode ouvir e reage aos ruídos do mundo externo. Mede 22cm e pesa cerca de 300g. A mulher percebe os movimentos do bebê. O peso aumenta e também a frequência urinária. Pode haver saída de colostro pelos mamilos. É o momento de intensificar as conversas com o bebê.

6º Mês
 O feto ainda não acumulou gordura. Cresceu, mas ainda está magrinho. Movimenta-se muito. Mede aproximadamente 32cm e pesa cerca de 600g. O útero continua aumentando e o abdômen já fica bem exposto. É o momento em que a mãe deve controlar o aumento de peso.

7º Mês
A pele não é mais transparente, está vermelha e enrugada.  O feto já está quase pronto, mas ainda é imaturo e incapaz de sobreviver fora do útero. Mede 36cm e pesa quase 1kg. Pode haver uma sensação de pressão sobre os órgãos abdominais da mãe, devido ao aumento do útero. A respiração torna-se mais difícil e a tolerância aos esforços diminui. À noite, o mais indicado é dormir de lado.

8º Mês
É o período em que o feto ganha mais peso. Agora ele já está praticamente pronto e mudará pouco até o nascimento. Muda de posição dentro do útero e coloca-se de cabeça pra baixo, preparando-se para o parto. Mede cerca de 41cm e pesa até 1,8kg. A postura da mulher e o andar ficam alterados devido ao peso no abdômen e ao posicionamento do bebê no útero. A necessidade de urinar com freqüência aumenta mais ainda a compressão da bexiga.

9º Mês
O feto está pronto para o mundo. De cabeça para baixo, começa a pressionar o útero para sair. A barriga da mãe cresce, indicando que o bebê está posicionado para sair. Podem aparecer as primeiras contrações, é o momento de estar atenta aos sinais de início de trabalho de parto e procurar o hospital na hora certa.

» Alimentação da gestante

A gestação exige um aporte nutricional adequado a essa condição. Isso não quer dizer que a gestante deva comer por dois, mas sim, para dois.

Procure habituar-se a fazer de cinco a seis refeições por dia no período da gestação. Sempre que sentir ?aquela fome fora de hora?, procure frutas, iogurtes e queijos magros. Coma vegetais em abundância, principalmente os de cor verde-escura, que são ricos em ferro, como a couve-verde, a rúcula, a chicória, espinafre, agrião, brócolis, entre outros. Sempre que possível, inclua feijão no almoço e jantar, pois ele representa uma boa fonte  de ferro que auxilia no controle da anemia. Lembre-se de que a melhor absorção do ferro ocorre quando este é associado a uma fonte de vitamina C, como laranja, kiwi, bergamota, morango, acerola ou, ainda, suco de limão.

» Parto

Os momentos que antecedem o parto culminam com algumas modificações no corpo da mãe que possibilitam a saída do bebê. Por volta da 37º a 42 º semana de gestação, os músculos da região pélvica (especialmente útero) da gestante começam a se contrair e empurrar o bebê para baixo. Esta descida do bebê faz com que a parte mais inferior do útero (colo) comece a se abrir até atingir uma dilatação máxima de 10cm, possibilitando a saída do bebê.
O tipo de parto vai depender das condições da gestante e do feto, mas basicamente podem ser feitos dois tipos de parto: o abdominal (cesárea) e o vaginal (normal).  Todo  processo que envolve a gestação, o parto e o nascimento é comandado por hormônios que são produzidos pelo organismo da mãe.
Um desses hormônios, a ocitocina, é o que avisa a hora do nascimento e determina o início do trabalho de parto. Algumas mulheres, por apresentarem uma disfunção na quantidade de ocitocina, não conseguem uma dilatação suficiente para possibilitar o parto normal. Nesses casos, existe a  possibilidade de o médico  administrar  uma dose deste hormônio, é o que chamamos de indução do trabalho de parto.
Algumas respondem bem a esta indução, aumentam a dilatação e realizam o parto normal. No caso da indução não funcionar, os pais e o obstetra entrarão em acordo e decidirão, juntos, pela cesariana.

» Como é a cesariana

A operação cesariana é uma cirurgia de médio porte, com abertura da cavidade abdominal e do útero para a retirada do bebê. O corte é feito na região suprapúbica (o mais inferir possível, ficando escondido embaixo da calcinha e mesmo do biquíni) e mede em torno de 10 a 15 cm, no máximo.

» Amamentação:

O leite materno é único para cada bebê, e cada mãe produz o melhor leite para seu filho nas diferentes fases de seu desenvolvimento; ou seja, à medida que o bebê cresce, o leite da mãe se modifica para atender às suas necessidades nutricionais.

Nos primeiros dias após o parto, o leite materno tem consistência mais líquida e é mais transparente é o chamado colostro, também conhecido como a primeira vacina? do bebê, devido à grande quantidade de anticorpos que apresenta. Aos poucos, o leite vai se tornando mais denso e adquire uma coloração branca ou amarelada, apresentando todos os nutrientes de que o bebê  necessita e sendo chamado leite maduro.

» Vantagens do aleitamento materno

Mãe Filho
Favorece o vínculo com o filho. O leite materno é de fácil digestão.
Reduz o sangramento pós-parto. Previne desnutrição e obesidade.
Reduz os riscos de câncer de mama, útero e ovários. Previne infecções.
Amamentar é prático e econômico. Previne problemas de audição e de fala.
O leite materno está sempre na temperatura ideal. Dispensa o uso de outros alimentos até os 6 meses de idade.

» Conhecendo seu bebê:

Os bebês têm suas próprias características, e por isso não podem ser tratados como adultos em miniatura. Nos primeiros dias de vida é normal que ocorra perda de peso, pela eliminação de fezes e urina. Na verdade, este peso perdido é água que foi acumulada enquanto ele ainda estava no útero, e por volta dos dez dias de vida ele começa a recuperá-lo.

Os recém-nascidos dormem muito.  Por isso é importante que o ambiente seja tranquilo. Ao mesmo tempo, o bebê deve estar inserido na rotina da família e receber carinho e estímulos para sentir-se seguro e parte dela.

A pele dos bebês é avermelhada e recoberta por uma camada de gordura e  lanugem (pequenos pêlos), que servem de proteção contra infecções.

Sua cabeça apresenta duas regiões mais amolecidas. São as chamadas moleiras, uma bem no topo e outra mais atrás. Nestes locais os ossos ainda não se soldaram, isto só acontece por volta dos 18 meses de vida. A finalidade das moleiras é facilitar a passagem da cabeça do bebê pelo canal vaginal na hora do parto.

Os bebês podem apresentar uma secreção nos olhos, decorrente do uso de um colírio aplicado logo após o nascimento, para a prevenção de infecção. A limpeza dos olhos com água fervida, na maioria das vezes, é suficiente para retirar esta secreção, que desaparece naturalmente.

Com o nascimento os bebês precisam aprender a utilizar o nariz para respirar. Por isso, nessa adaptação, podem ocorrer espirros, considerados normais. Também é comum a ressonância ou ronqueira durante a respiração.

Os recém-nascidos podem ainda apresentar soluços, que são movimentos involuntários. Nem sempre significam que a criança está com frio. São normais e não requerem tratamento especial.

As primeiras fezes dos bebês são escuras e pegajosas e conhecidas como mecônio. Gradativamente se transformam em fezes maduras, que vão do amarelo (cor de gemas de ovo) até o verde-escuro. A consistência também varia: pode ser nos primeiros meses pastosa até líquida, apresentando grumos semelhantes a leite talhado. E ainda é comum que, após cada mamada, o bebê evacue.

Alguns bebês, tanto meninas quanto meninos, podem apresentar a glândula mamária levemente aumentada, e poderão expelir uma espécie de líquido esbranquiçado, semelhante a leite, conhecido como leite de bruxa. Esta secreção é normal e desaparece espontaneamente, sendo causada pela transmissão de hormônios maternos para o  feto.

Da mesma forma, é normal que algumas meninas apresentem uma espécie de  sangramento em pequena quantidade pela vagina, assim como uma secreção semelhante à clara do ovo.

»  Check-in antes do parto
»  Álbum do Bebê
»  Curso de Gestantes
»  Dicionários de Nomes
»  Enxoval do Bebê
»  Mamãe e Bebê
»  Centro Obstétrico
»  CTI Neonatal
Pré-check-in
Banco de Imagens
Bebê na Web
Pronto Atendimento
Fale Conosco
Localização
Trabalhe Conosco
Escola de Saúde
 
Design: 3W ::: Produção e Edição: Seiva Agência de Comunicação - Direitos Reservados